07.02
18
Uma pessoa com um lápis escrevendo em um caderno
Guia do Estudante

Dicas para nunca mais errar crase

Esse diferente acento parece um bicho de sete cabeças para muita gente, mas não é bem assim. Confira algumas dicas para nunca mais errar crase.

O acento que indica a fusão de duas vogais idênticas – a preposição “a” com o artigo feminino “a” – provoca dúvidas em grande parte dos nativos da língua portuguesa. Essa dificuldade acontece porque, para usá-la corretamente, é preciso entender as situações em que a norma se aplica.

Palavras femininas

Uma regra básica da crase é que ela só deve ser utilizada diante de palavras femininas, pois, só utilizamos o artigo “a” na frente de nomes femininos, não é mesmo? Um truque muito usado para verificar se existe crase é substituir o substantivo feminino por um masculino, observando se ocorre ou não a contração “ao”.

Exemplo:

Vou à padaria. Se trocarmos padaria por supermercado, diremos “Vou ao supermercado”. Neste caso, o correto é a utilização a opção com crase. Apesar de existir exceções, essa dica ajuda muito a eliminar uma boa parte das dúvidas.

Indicação de hora

Quando dizemos alguma frase que indiquem as horas, devemos empregar a crase. Porém, é preciso estar atento quando as horas aparecem antecedidas das preposições “para”, “desde” e “até”, pois neste caso não existe crase.

Exemplos:

Tenho uma reunião às 18h

Minha corrida começa às 6h

Estou aqui desde as 11h

Marcamos a reunião para as 18h

Opcional

Quando o artigo “a” é utilizado antes de pronomes possessivos femininos, como: “minha”, “tua” , “nossa” e outros, a utilização da crase é o opcional. Neste caso, ambos estão certos.

Exemplo:

Voltei a minha cidade

Voltei à minha cidade

Outra situação em que a utilização é opcional é antes de nomes próprios.

Exemplo:

Carlos fez um pedido a Mariana

Carlos fez um pedido à Mariana

No entanto, em textos formais, a utilização do artigo “a” craseado deve ser evitado.

Lugares

Outra dúvida muito comum é referente à acentuação no caso de nome de lugares. Para que essa dúvida não ocorra mais, basta inserir o substantivo em uma frase que utilize as preposições “em” ou “de”, e verifique se ocorrem as contrações “na” ou “da”.

Exemplo

Na frase “Vou à Bahia” ocorre crase, pois aplicando essa regrinha, dizemos “Sou da Bahia”, e não “Sou de Bahia”.

Já na frase “Vou a Pernambuco”, não ocorre crase pois aplicando a regrinha o correto é dizer “Estou em Pernambuco”.

Viu só que simples? Com essas dicas você nunca mais vai errar na hora de acentuar com crase, não é mesmo?